sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Um pouco de Hidelberg - Alemanha.


Hidelberg, as margens do Rio Neckar, a 5ª maior cidade alemã.


Ponte sobre o Rio Neckar.


Igreja do Espírito Santo em Marktplatz.


Mapa antigo de Hidelberg.


Igreja do Espírito Santo em Marktplatz.


Em Marktplatz está a fonte de Hércules, construída em 1706-1709 na reconstrução da cidade após a destruição na Guerra dos Nove Anos.


Transporte para o Castelo.


Castelo medieval renascentista a norte dos Alpes. Residência dos Príncipes Eleitores. mais tarde destruído pelos soldados do Rei Luiz XIV da França em 1689.


Esta é a Porta de Isabel, Stuart, princesa inglesa, esposa de Frederico V, que mandou fezer para homenageá-la no aniversário dela de 19 anos. Dedicatória em latim. Estilo arco do triunfo, primeiro elemento barroco do castelo.

Em 1155, Conrado torna-se Conde da Região do Palatinado e instalou-se na Colina dos Bovinos Jovens.  


Em 1214, o local pertencia aos Duques da Baviera. Em 1225, Luis I, chamou o local de feudo. Em 1303, aparece num documento que o local tinha 2 castelos um alto (que fora destruído) e um baixo (no local atual). Nos achados arqueológicos comprova-se que as primeiras estruturas surgiram no século XIII. Em 1353, Ruperto I, mandou construir a Capela da Corte. 


Em 1415, o Conde Luis III, aprisionou o Antipapa João XXIII. Em 1462, na Guerra Baden-Palatinado, Frederico I, aprisionou Carlos I, o bispo Jorge Metz e o Conde Ulrico V. Estes foram mal alimentados até pagarem a liberdade. Episódio conhecido como "Ceia de Hidelberg".


Em 1518, no reinado de Luis V, Martinho Lutero foi ao palácio apresentar um de suas teses e teve apoio do Conde. Iniciada a construção que deu esta forma em 1544. 


A obra mais importante descreve o Príncipe Eleitor Luis V "como uma pessoa que começou a construir um novo castelo a mais de cem anos" Mattahäus Merian - 1615. 



De 1619 até 1649, ocorre a Guerra dos 30 anos. Protestantes contra o Sacro Império Romano Germânico, ofereceram a coroa da Boemia a Frederico V que aceitou, foi derrotado e escapou deixando o castelo indefeso. O comandante Tilly da Liga Católica foi vitorioso para o Príncipe Maximiliano I da Baviera, mas foram vencidos pelos suecos que logo atacaram. O imperador recapturou o castelo. Assinaram um tratado de Paz de Vestfália para o fim da guerra e o novo governante Carlos I Luis, mudou-se em 1649.


Carlos II Palatino, morre e Luis XIV da França reivindicou a herança do castelo para a Duquesa de Orleãs Isabel Carlota Princesa Palatina. Inicia a Gerra de 9 anos. (1688 - 1697) Felipe Guilherme Palatino abandonou o castelo e os franceses destruíram e queimaram o que podiam. Em 1690, João Guilherme II, mandou reconstruir, mas franceses atacaram com minas. Em 1697 assinaram um tratado e terminaram a Guerra da Grande Aliança. 


Carlos III Felipe reinou e depois mudou-se deixando para Carlos Teodoro que foi embora porque viu um sinal divino no acontecido, pois em 1764, o castelo foi incendiado por um raio que atingiu 2 vezes o castelo. Em 1784, o castelo foi usado pelos populares como fonte de materiais de construção para suas casas. 


Em 1800, artistas visitavam as ruínas para se inspirar. O pintor William Turner, representou-o algumas vezes. 


Em 1822, o conde Charles Graimberg, cuidou da preservação antes dela existir na Alemanha. Ele pediu a Thomas para pintar figuras sobre o castelo e usou para trazer turistas. 


Em 1838, o poeta francês Victor Hugo, passeou e escreveu sobre o castelo. 


A reconstrução foi feita entre 1897 a 1900, por Carl Schäfer.


Lateral do Castelo.


Vista do Rio Nackar e da Floresta Negra. A floresta dos Contos dos Irmãos Grim.


Vista do Rio Nackar e da Floresta Negra. A floresta dos Contos dos Irmãos Grim.


Vista da Torre.


Fachada do Edifício de Frederico.


Espaço onde se contempla a vista da cidade e da Floresta Negra. 


Vista da cidade de Hidelberg.


Vista do pátio de canhões e da cidade de Hidelberg.


Lateral do castelo.


Interior do Castelo.



Barril.


Espetáculo que ocorre no castelo.


Sala do Grande Barril.


O Grande Barril.


Escadas para subir no Grande Barril.


Relógios de parede.


Restaurante interno.


Vinho do Castelo.


Museu de Medicina no entorno do Castelo.


Museu de Medicina no entorno do Castelo.



Edifício da Torre da Erva. Antigo armazém de grãos e ervas. Explodiu em 1693 pelos soldados franceses. Hoje seu nome é Torre desmoronada.


Edifício da Torre da Erva, hoje Torre desmoronada.


Casamata da água. A parte de cima era passagem de água. A parte de baixo um acesso aos fossos e uma saída de emergência do Castelo. Também equilíbrio para sustento de algumas partes da construção.


Edifício da Torre Grossa. Luis V mandou construir para aparentar medo de quem a via. Frederico transformou-a num teatro. Em 1689 foi bombardeada e um pedaço caiu no vale.



Edifício da Torre Grossa.







Transporte para sair do castelo.


Ruas de Hidelberg.



Hauss zum Ritter, hoje hotel, foi construído em 1592 por uma família rica comerciante de tecidos.



A Ponte Velha é ligada pelo Portão Brückentor com torres do século XVIII da época da ponte, que guardavam a cidade. O portão é do século XIII.


Portão Brückentor.


Ao fundo o Castelo de Hidelberg.



A Ponte Velha é ligada pelo Portão Brückentor com torres do século XVIII da época da ponte, que guardavam a cidade. O portão é do século XIII.


O Castelo de Hidelberg a noite.



Despedindo-me de Hidelberg.

Nenhum comentário:

Postar um comentário