segunda-feira, 30 de maio de 2011

As Sete Maravilhas do Mundo Antigo.

Uma famosa lista que contém as obras artísticas e arquitetônicas mais majestosas, erguidas durante a antiguidade clássica. A origem remete a um poema grego de Antípatro de Sídon. Outro documento que consta sobre a lista é o livro “De septem orbis miraculis”, do engenheiro grego Philon de Bizâncio. Os gregos foram os primeiros a relacionar estes monumentos em 150 e 120 a.C.. A única obra existente até hoje é a Pirâmide de Quéops. Na Grécia ficava a estátua de Zeus em Olímpia, com 12 metros de altura e construída em ouro e marfim. Sabe-se dela, pelas moedas de Elis, que continham a imagem da estátua.


A GRANDE PIRÂMIDE DE GIZÉ
É apenas a grande pirâmide que faz parte da lista e não as 3. Ela foi construída a mais de 4.500 anos. A pirâmide tem 147 metros de altura e foi a maior construção feita pelo homem, somente foi superada com a construção da Torre Eiffel. A pirâmide foi construída para ser a tumba do Rei Khufu. Além de ser a mais antiga maravilha do mundo antigo, é a única que ainda se mantém hoje.

OS JARDINS SUSPENSOS DA BABILÔNIA.
Estes são os menos conhecidos, existem poucos relatos e nenhum vestígio foi encontrado ainda. O suspeito, é um poço encontrado fora dos padrões. Construído por volta de 600 a.C., as margens do Rio Eufrates, na Mesopotâmia, no sul do atual Iraque. Conta a lenda que os jardins eram 6 montanhas de tijolos de barro, com terraços cheios de plantas e flores. Para chegar ao topo, deveriam subir uma escada de mármore entre folhagens e fontes. Era localizado próximo ao palácio do Rei Nabucodonosor II, que teria mandado construir para sua mulher Amitis. Diziam que a Babilônia era um dos lugares mais lindos do mundo antigo. Sua decadência iniciou após a morte de Alexandre o Grande. Não se sabe se foi tudo destruído. Em cima foi construída Al-Hillah, perto de Bagdá, capital do Iraque.



O MAUSOLÉU DE HALICARNASSO.

O Mausoléu, foi um túmulo feito a pedido da Rainha Artemísia II de Cária, para guardar os restos mortais do irmão e marido, o Rei Mausolo em 353 a.C. Foi construído por 2 arquitetos gregos: Sátiro e Pítis e por 4 escultores gregos: Briáxis, Escopas, Leocarés e Timóteo. Hoje, os restos são encontrados no Museu Britânico em Londres e em Bodrum, na Turquia.



O COLOSSO DE RODES.

Era uma gigantesca estátua do Deus grego Hélios, que ficava na entrada marítima da Ilha de Rodes. Concluída em 280 a.C. pelo escultor Carés de Lindos. Tinha 30 metros de altura e 70 toneladas de bronze, feita com restos das armas abandonadas pelos macedônios na tentativa de conquista. Qualquer barco que entrasse na ilha passaria entre as pernas da estátua. Na mão direita havia um farol. Ficou em pé durante 55 anos, sendo derrubada por um terremoto que a jogou no fundo do mar. Ptolomeu III queria reconstruí-la, mas o povo achou que ofenderia Hélios e deixou-a. quem passava de barco podia vê-la no fundo, mas com a chegada dos árabes, ela foi vendida como sucata.


O FAROL DE ALEXANDRIA.

Ptolomeu mandou o arquiteto e engenheiro Sóstrato de Cnido construir, em 280 a.C.. Era uma torre de mármore que ficava na Ilha de Faros próximo ao porto de Alexandria, por isso chamaram-no de farol de Alexandria. Bem no alto tinha uma chama que refletia em espelhos e iluminava até 50 quilômetros. Foi destruído por um terremoto em 1375. Suas ruínas foram encontradas em 1994 por mergulhadores. 
A ESTÁTUA DE ZEUS EM OLÍMPIA.

Dizem que a estátua foi construída no século V a.C., por Fídias, em homenagem ao deus grego Zeus do Olimpo. Era feita em ouro, marfim, ébano e decorada com pedras preciosas, tinha de 12 a 15 metros de altura. Zeus estaria sentado no trono com a estátua de Nike, deusa da Vitória numa mão e na outra uma esfera com uma águia. Após 800 anos, acredita-se que fora levada para Constantinopla (hoje, Istambul), e destruída em 462 d.C. por um terremoto. 

TEMPLO DE ÁRTEMIS EM ÉFESO, NA TURQUIA.

Foi o maior templo do mundo antigo. Construído para a deusa grega da caça e protetora dos animais, em 550 a.C. pelo arquiteto cretense Quersifrão e seu filho Metagenes. Virou atração turística e depositário de oferendas. Foi destruído em 356 a.C. por Heróstrato que queria ser lembrado por destruir o templo. Alexandre o Grande, começou a reconstruí-lo, mas foi novamente destruído por um ataque dos godos. Depois foi esquecido e sobraram somente ruínas.

As ruínas do que sobrou do templo:

Nenhum comentário:

Postar um comentário